segunda-feira, 26 de junho de 2017

Nascidos nas Brumas (Mistborn) - Brandon Sanderson

Terminei à 5 minutos atrás O Herói das Eras e sei que tenho que fazer falar sobre esta série agora, enquanto estes sentimentos me assolam, porque mais tarde não serei capaz de falar mais sobre isto. As emoções são muito fortes, por isso após escrever esta resenha sei que vou guardar todos estes sentimentos numa caixinha e que não poderei pensar tantas vezes nela, se não vou entrar em ressaca literária.
Para quem não sabe nada sobre a história de Mistborn - Nascidos nas Brumas, eu deixo aqui a resenha do primeiro livro. Aviso que esta série precisa de paciência, pelo menos inicialmente, por ser um mundo tão complexo. Demora até percebermos como funciona, mas é espectacular. Se puder ser, recomendo-vos a lerem da mesma forma que eu li: leiam o primeiro e deixem passar algum tempo. Releiam o primeiro e leiam o segundo e terceiro logo de seguida. Foi assim a minha experiência e foi maravilhosa.

Penso que o facto de estar a sofrer tanto com este final não é só porque a história é de facto incrível e terminou. Mas porque como li todos os livros seguidos, eu realmente fiz amizade com os personagens e não sei como dizer adeus. Brandon Sanderson criou personagens reais e muito bem construídos. Durante uma discussão ou diálogo, é-nos possível distinguir quem fala, mesmo que não seja mencionado, porque a personalidade dos personagens é  "distinguível". 
Realmente não sei o que pensar sobre todo isto! O autor fez-me sentir burra! A história estava sempre um passo à frente do que aquilo que eu pensava que estava. Tudo se encaixa, tudo faz sentido, tudo se completa. As pontas soltas são unidas, os problemas e teorias explicados... Este final é doloroso, pela perda de tantos personagens, mas tão incrível <3 

Como vêm eu não falei em nada da história, mas precisava desabafar e tirar estes pensamentos de dentro de mim. Uma das melhores séries que li na minha vida e peço a todos que amam fantasia, e não só mas principalmente, para lerem, porque vai ser algo que vai mudar a vossa vida.

Este livro traz-nos reflexão sobre o mundo, sobre o poder, sobre a sociedade, sobre religião, crenças e fê. Sobre o amor, a amizade, a família. Sobre o que é realmente ser corajoso, ser crente, ser fiel. Esta série fez-me refletir sobre tanta coisa e sob tantas formas que de agora em diante já sei o que responder quando me perguntarem por um livro influenciador. 

Apenas leiam ❤
               Facebook Instagram | Twitter | Skoob | Goodreads | Tumblr | Snap: @jessinhacruz95

segunda-feira, 19 de junho de 2017

[Fanart] - Nimona

Acabei de ler Nimona e como não sei o que sentir, decidi procurar fanart <3 E ainda como extra, deixo-vos uma música linda dos Imagine Dragons que acho que combina muito com este livro (ouçam aqui).

































Beijo
acebook Instagram | Twitter | Skoob | Goodreads | Tumblr | Snap: @jessinhacruz95

sexta-feira, 16 de junho de 2017

[Vida da Blogger] - Feira do Livro de Lisboa de 2017

Olá meus amores! Preparem-se ok? O post vai ser grande porque eu venho contar tudoooo o que aconteceu no dia 10 de junho, o dia em que eu fui à feira do livro.

Vamos começar do início sim? Para quem não sabe, eu sou do Porto, então nunca tive oportunidade de ir à Feira do Livro de Lisboa, até porque mais importante do que qualquer outra coisa, nunca tive com quem ir. Até que, graças aos deuses, uma priminha minha linda e maravilhosa (eu sei que ela vai ler isto) descobriu o seu amor pelos livros. Já falei antes dela por aqui, para quem não se lembra, foi ela quem ganhou o sorteio com a Babe Bichinho <3 Ela começou a ler no ano passado, mas já se tornou uma fangirl total e naquilo que era suposto ser uma brincadeira, lá marcamos a nossa viagem para Lisboa.
O modo mais rápido e fácil era ir de avião e foi isso que decidimos fazer. E aqui entra outro ponto: não chegava eu já estar a morrer de coração por ir à Feira do Livro, esta seria também a minha primeira viagem de sempre e, consequentemente, a primeira vez em que andaria de avião. Os nossos pais trataram de tudo por nós: foram a uma agência, compraram os voos e pediram um hotel que fosse próximo da Feira do Livro. A feira acontece no Parque Eduardo VII e por isso ficamos no Hotel Eduardo VII (que já vos falo mais sobre...).
No dia 9 eu não dormi, visto que às 4h da manhã do dia 10 teríamos de ir para o aeroporto e é óbvio que a menina aqui nunca se conseguiria deitar cedo. Por isso, aproveitei e fui sair com os amigos hahahaha Quando a minha tia me ligou, pois foi ela que nos deixou no aeroporto, os calores começaram a subir, porque comecei a entender que EU IA ANDAR DE AVIÃO! Mas foi super tranquilo! A viagem é super curtinha e rapidamente chegamos a Lisboa, e não paravamos de cantar a música da Ludmilla hahahaha
Lá descobrimos como funcionavam os metros e conseguimos ir até ao nosso hotel sem nos perdermos. E aqui começa a diversão ahahaha Eu já tinha pesquisado sobre o hotel e li críticas muito negativas: que era tudo muito antigo, que os quartos cheiravam a mofo... Por isso, as nossas expectativas eram muito baixas mas nós estávamos prontas para tudo e queríamos era um sítio para dormir, porque o que interessava era que ESTÁVAMOS EM LISBOA! Mandaram-nos para o quarto 908 e nós andamos perdidas à procura, e quando encontramos, o cartão não abria a porta ahahaha Os corredores eram muito parecidos com o Titanic por dentro. Vocês não estão a perceber, eram portas antigas de ambos os lados, com uma passadeira vermelha pelo corredor e nós só ríamos ahahah
Acabamos por gostar bastante do quarto :) Sim, os móveis eram bastante antigos, mas não cheirava a mofo, uma das paredes era toda em janelas e tínhamos uma vista linda, tínhamos secador (embora super antigo), uma televisão (daqueles tijolos ahahaha mas que funcionava muito bem), uma escrivaninha, um cadeirão de leitura... Não faltava nada! A proveito ainda para mencionar que fomos muito bem recebidas e os rececionistas são muito simpáticos. Chegaram até a deixar-nos carregar o telemóvel durante a noite, porque aqui as duas meninas esqueceram-se do carregador. Com este processo todo, ainda eram 8h da manhã e a feira só abria às 11h, por isso aproveitamos  e ainda dormimos um pouco.
Pusemos despertador e mal ele tocou nós corremos para a feira e não podíamos aguentar a emoção hahaha Entramos e nem sabíamos para onde nos dirigir. Estava muito calor mesmo, e aquilo é a subir, mas nós estavamos tão entusiasmadas que vocês não estão a perceber. Nós vimos tudo de uma ponta à outra, e tudo que era panfletos, marcadores, catálogos, papéis... nós pegavamos em tudo ahahahaha 
Acabamos por ver tudo muito mais rápido do que pensavamos e ainda eram 14h, por isso decidimos voltar para o hotel, descansar um pouco e voltar novamente. Lá fomos nós! Aproveitamos para pousar as nossas comprinhas e todos os papéis, que pesavam mais que os livros ahahaha Dormimos mais um pouquinho, comemos (levamos comida de casa para não gastar dinheiro a não ser em livros hehehehe) e lemos...
Às 17h da tarde decidimos voltar à feira. Mais papéis, mais caminhada e muito sol... Estivemos deitadas num livro gigante juntamente com as crianças ahahaha E então descobrimos que a Paula Hawkins estava a chegar para uma entrevista e sessão de autógrafos e nós basicamente já estavamos na fila ahahaha Nenhuma das duas leu nenhum dos dois livros dela (A Rapariga do Comboio e Escrito na Água), mas como tínhamos um dos panfletos promocionais do livro decidimos ficar e ver se ela assinava... e assinou! Nisto foram 2h desde a entrevista até ao autografo e aqui a menina apanhou um escaldão, mas foi muito bom e engraçado. Na ainda encontrei a fofa da Ritinha do Palavras Armadas <3 
Mesmo assim eram umas 19h da tarde e já não sabíamos o que fazer mais porque já tínhamos visto tudo. Decidimos então ver se tinha algum shooping perto e dar uma voltinha. Lá fomos nós! Estivemos quase a entrar num hotel de luxo a pensar que era o tal do shopping ahahaha Hi-la-ri-an-te! Lá descobrimos o shopping e acabamos por ter uma ideia: ir ao cinema! É por isso que eu adoro esta rapariga. Foi só dizer "vamos?" e ela alinhou. Fomos ver Piratas das Caraíbas e foi fantástico, mas vou deixar a crítica do filme para outro post.
Depois do filme voltamos para casa, lemos um pouquinho e começou a bater a nostalgia, pois no dia seguinte já íamos embora bem cedinho. Acabamos por ver um pouco do filme American Pie que estava a passar na televisão. No dia seguinte, estivemos quase para perder o avião de propósito para ficar lá ahahaha Mas somos meninas responsáveis e lá viemos, inconsoláveis, mas teve que ser... E assim acabou uma das melhores experiências que já tivemos e já queremos marcar outras viagens juntas <3

Beijinhos

sábado, 13 de maio de 2017

Tag - Frases da Mãe

Maio é o mês das mães e por isso decidi responder a uma tag especialmente para esta data, criada pela Taty Salazar do Coleções Literárias e pelo Marcio Silva do Um Baixinho nos Livros. E quero agradecer à fofa da Paola do Além da Minha Estante, que me passou a tag para eu responder, faz agora um ano (desculpa, tá? <3). Fiz questão de mudar algumas frases, para que ficassem mais parecidas com aquelas que as nossas mães dizem cá em Portugal, mas a ideia é a mesma. 

Eu vou contar até 3... 
Um livro que não vias a hora de acabar.
A Marca das Runas (resenha) é um livro só por si gigante, mas que eu andei a arrastar durante um mês. Acho que foi o livro que eu mais demorei a ler, e acho que é por isso que eu nutro por ele um ódio de morte. No entanto, de uns tempos para cá, ando a pensar dar outra oportunidade, mas até tenho medo!

Se disseres isso outra vez, dou-te na boca. 
Um livro que não suportas que falem mal.
Não é não suportar, até porque cada um tem os seus gostos, e eu própria sou daquelas que tem tendência a odiar os livros que toda a gente ama (ex: Eleanor & Park - resenha), mas dói-me o coração quando ouço pessoas dizerem que abandonaram Nómada (resenha), ou que nem vão tentar ler por ser da mesma autora que Crepúsculo... Leiam!

Se fugires, vai ser pior! 
Um livro do qual foges, mas sabes que vais acabar por ler.
Não é fugir, até porque eu quero ler, mas eu sei que é um livro que vai marcar-me de uma maneira forte, devido aos temas que aborda e que me dizem muito, por isso eu vou adiando, mas eu quero muito ler, e refiro-me a A Desconstrução de Mara Dyer.

Anda comer se não fica frio.
Um livro que leste mal foi lançado.
Rainha Vermelha (resenha), li mal foi lançado em Portugal porque era um lançamento que eu estava realmente à espera. Aliás, comprei em pré-venda e fiquei maluquinha até ele chegar. Graças a Deus não me desiludi!

Não me interessam os outros!
Um livro que ninguém gosta, mas tu sim.
Acho que aqui podia dar outra vez o exemplo de Nómada... E é mesmo isso que eu vou fazer, porque talvez incentive alguém a ler. Este livro é maravilhoooosooo. Pode ser um bocadinho lento no início, mas é necessário para o desenrolar da história, mas após começar a ação, é impossível largar.

Quantas vezes já te avisei para não fazeres isso?!
Um personagem que te irritou ou só fazia "cagada".
Kelsey, da Saga do Tigre, que é uma das minhas série favoritas, mas esta rapariga é muitooo chata. Toda a gente fala mal da Bella, que ela está sempre "mimimi mimimi", mas a Kelsey... pelo amor de deus. Ela melhora um bocadinho no terceiro livro, e ainda tenho de ler o último para saber mais (não fi lançado cá em Portugal -.-).

Quando digo não, é não!
Um livro que não vais ler, não importa o que digam.
Eu sou uma pessoa muito apologista da frase "Nunca digas nunca", mas posso dizer-vos que neste momento, não tenho qualquer vontade de ler Julia Quinn, que escreve romances de época, e que toda a gente diz que é muito bom, mas eu simplesmente não tenho paciência para histórias desse tipo, pelo menos por enquanto.

Não me mintas!
Um personagem mentiroso, ou que te enganou bem.
Alerta spoiler, mais ao menos, da Rainha Vermelha: um dos príncipes, não vou dizer qual, deixou-me completamente de boca aberta com a sua atitude no final. E claro, o meu querido Snape de Harry Potter que acho que nos conseguiu deixar perplexos e caídos no chão, quando descobrimos a verdade. #always

Se continuares a chorar, vou te dar motivos para chorares a sério.
Um personagem chorão e irritante.
Kelsey, outra vez, porque não estou com vontade de pensar noutro personagem #preguiçamata mas vocês perdoam-me. Amo vocês!

Come só um bocadinho.
Um livro que te fez dizer "Vou ler só mais um bocadinho".
Tantos, mas tantos! Mas desta vez vou optar por Maze Runner (resenha) que acho que não é uma série que eu fale muito aqui, talvez porque a continuação me desapontou, ma só primeiro livro eu achei sensacional e li durante uma madrugada, naquela lenga-lenga de "só mais um capítulo".

Quantas vezes vou ter de repetir?
Um livros que terás ou tiveste que reler para entender.
O Mundo de Sofia, é um livro sobre filosofia, misturado com um pouco de história, e depois o final é confuso. Como eu li a primeira vez quando era novinha, metade dos ensinamentos eu não percebi, e no final então eu fiquei completamente O.o sem entender nada! Para ler este livro é preciso realmente amar filosofia.

Não fazes mais que a tua obrigação!
Um livro que leste porque foste obrigado.
Nunca li nada propriamente por obrigação, porque apesar de amar ler, posso confessar-vos que nunca li nenhuma daquelas obras que nos obrigam na aula de português (Os Mais, Memorial do Convento...) a menos que me interessassem. Mas um daqueles livros que me senti na obrigação de ler, foi Orgulho e Preconceito, por ser um clássico, mas li sem ninguém me mandar, entendem?

Beijinhos